Quem é vivo sempre tem plano

Há duas campanhas da Vivo que acho incríveis, mas vou falar de apenas uma nesse post. Não sei o nome da campanha e nem quem a criou – acho que foi a Africa – (se alguém puder ajudar, comenta aí). Eu a chamo de ‘Não estava nos meus planos’.

Quem a criou fez uso excelente da palavra “Plano”. Nos filmes da campanha usaram dois significados da palavra, que é homônima perfeita (palavras que possuem a mesma grafia e o mesmo som, mas significados diferentes). Continuar lendo

Anúncios

Assassinato da Língua Portuguesa em legítima defesa

Erros de português são imperdoáveis quando cometidos por comunicadores, certo? Errado. Há chances de o redator publicitário ser perdoado.

O “assassinato” da língua portuguesa pode ser cometido no caso de legítima defesa por esse profissional. Como assim? Continuar lendo