Amil, obesidade infantil e o ene-á-ótil – uma campanha atual e com textos bem pensados

 

A Amil, empresa de convênio de saúde, está com uma campanha sobre obesidade infantil que considero uma das melhores que já vi. Ela é perfeita no argumento, na construção e na execução.

Vou analisar com vocês todos os fatores que me levam a pensar que ela é tão boa. Continuar lendo

Anúncios

Viajando na Redação – Bagagem cultural

Muito se especula sobre ser ou não criativo para ser publicitário, mas se esquecem de que a qualidade principal é a estratégia, pois criatividade por si só não faz um bom profissional. Incluo a técnica nisso, pois se der um bloqueio você saberá se safar.

Além de criatividade, técnica e estratégia, de que precisa um Redator Publicitário para ter sucesso no que faz? Bagagem cultural. Continuar lendo

Vai ter Copa sim – Como as marcas lidam com o Mundial de Futebol

Se depender das marcas, vai ter Copa sim!

Ligue a TV e assista apenas um intervalo. Você será bombardeado por propagandas usando a Copa do Mundo como temática, especialmente se o público do programa for homens.

Lembra quando falamos aqui sobre Constelação temática? Só pra relembrar: é usar um tema que nada tenha a ver com a marca/produto/serviço e “costurá-lo” ao que estamos anunciando. É o que está havendo com o tema “COPA”. Continuar lendo

Segura meu like – Redação nas Mídias Sociais

A nova geração de publicitários pegou o início de um novo tipo de comunicação e enfrentou uma mudança brusca na relação marca x consumidor.

Se antes a marca falava e o consumidor escutava, atualmente o consumidor dita o que a marca diz e rebate, discute e participa.

Nas Redes Sociais nosso discurso é ainda mais delicado, porque a interação com o público é imediata e causa o efeito boca a boca mais eficiente de todos os tempos. Continuar lendo

Mulher sem vergonha

Não vou falar de técnicas ou ferramentas de escrita, mas sim da importância de se ter uma visão de futuro para estar a frente do que virá. Vamos discutir sobre o corpo, a mulher, a beleza e a Dove!

Semana passada o assunto “corpo feminino” voltou a ganhar força por causa de uma matéria da Marie Claire sobre o “corpo perfeito” da modelo Izabel Goulart. A internet não perdoou e criticou a revista por chamar o conjunto de ossos de perfeição. A revista teve que se desculpar num update. Continuar lendo

Vou poder mostrar as vantagens? Vai!

A Brahma lançou sua versão zero álcool. Como vender para o público que bebe cerveja uma versão não alcoólica da coisa?

É aí que entra a redação, a parte mais importante do filme ‘Vai’, criado pela Africa. Para convencer o consumidor a criação listou as vantagens, mas como mostrar essas vantagens? A ideia foi usar o esteriótipo  de um garçom e de um consumidor em um diálogo bem humorado. Continuar lendo

Vem pra rua que o Gigante acordou

A gente tá acostumado a ver a propaganda usando a cultura popular, mas o contrário é uma das poucas vezes. Alguns comerciais viraram bordões, mas nunca tiveram um papel social. É isso o que está acontecendo agora com os protestos no Brasil inteiro.

Por causa da copa a Fiat lançou a campanha ‘Vem pra rua’. A voz do Falcão, do O Rappa, embalava os intervalos com essa música deliciosa e que gruda na cabeça. Acontece que o termo “Vem pra Rua” virou convite entre os manifestantes. A letra até parece profética (veja inteira aqui). Continuar lendo

Quem canta seus clientes encanta – Jingles

O que diabos é jingle? Vamos lá: é (ou deveria ser) uma espécie de apresentação do produto/serviço musicalizada. O consumidor deve ouvir o jingle e logo associá-lo à marca dona da musiquinha. Não é um trabalho fácil, pois envolve uma veia artística (musical), mas o objetivo não é entreter, mas sim, vender. Continuar lendo

Baseado em fatos reais

As agências e empresas que se importam com pesquisa de comportamento, costumes, tendências e tudo o que diz respeito a um grupo de pessoas ou lugar sai na frente na hora de lidar com os consumidores.

Um belo exemplo disso é esse filme da Vivo (criado pela Africa), que mostra um pai se separando da mãe e que não vai mais morar com a filha, pra quem ele promete estar sempre perto (através de um celular). Quantos pais não vivem isso? Esse filme faz com que homens na mesma situação se identifiquem com a marca, percebe o quanto ela é humana. É o bom uso do esteriótipo. Continuar lendo

Quem é vivo sempre tem plano

Há duas campanhas da Vivo que acho incríveis, mas vou falar de apenas uma nesse post. Não sei o nome da campanha e nem quem a criou – acho que foi a Africa – (se alguém puder ajudar, comenta aí). Eu a chamo de ‘Não estava nos meus planos’.

Quem a criou fez uso excelente da palavra “Plano”. Nos filmes da campanha usaram dois significados da palavra, que é homônima perfeita (palavras que possuem a mesma grafia e o mesmo som, mas significados diferentes). Continuar lendo